Você já parou para analisar a taxa de rejeição da sua página? Esse índice é muito importante para tentar entender por que os visitantes não estão buscando mais seu conteúdo.

No texto de hoje, nós vamos mostrar quais são os principais motivos que levam os usuários a saírem do seu site e o que fazer para evitar que isso aconteça.

Continue a leitura e saiba mais!

O que é taxa de rejeição?

A taxa de rejeição, também conhecida bounce rate, mede o percentual de visitantes que entram em uma página e a abandonam logo em seguida, sem fazer qualquer tipo de interação.

Se um usuário entra em um site e sai imediatamente, sem ler o conteúdo ou se interessar por outro link interno, pode indicar que ele não encontrou o que procurava.

Essa saída pode acontecer ao fechar a aba principal, clicar em um link para outro site, acionar o botão “voltar” do navegador ou ainda ficar inativo, mesmo com a página aberta.

Quanto maior a taxa de rejeição, menor é a interação do visitante com o site. Se ele não se interessa pelo seu conteúdo, dificilmente vai se interessar pelo seu produto ou serviço.

Esse indicador de performance auxilia na análise de tráfego e de engajamento e, por isso, é importante medi-lo. Uma das ferramentas mais utilizadas para fazer esse estudo é o Google Analytics.

Vamos mostrar, agora, os principais motivos que podem levar um visitante a abandonar o seu site. Em seguida, vamos dar algumas dicas de como evitar essa rejeição. Confira.

6 motivos que fazem usuários saírem da página

Quem tem um site sabe que para criá-lo é necessário desenvolver algumas ideias de design, produção e conteúdo e manutenção.

Mesmo com todo o planejamento, é possível que alguns fatores deixem a desejar, fazendo com que a experiência do usuário não seja tão positiva, aumentando a taxa de rejeição.

Separamos, a seguir, as 6 principais razões que levam uma pessoa a abandonar uma página na web e as formas de reduzir os índices em cada caso:

Tempo de carregamento da página

A velocidade de carregamento do site é um dos fatores mais importantes para garantir a permanência de um usuário na página.

Uma das maiores vantagens da internet é o acesso fácil e ágil às informações. Se uma página demorar a carregar, o visitante vai procurar outro endereço que carregue mais rápido.

Além disso, o tempo de carregamento da página também é importante para o rankeamento do Google. Caso sua página esteja lenta, ela vai vai acabar caindo na classificação do ranking.

Por isso, preparamos algumas dicas para que você possa melhorar esse índice no seu site. A primeira delas é otimizar as imagens.

Fotos muito pesadas e de baixa qualidade afetam negativamente a velocidade da página. Existem ferramentas de compressão de imagens, como o JPEGMini e o Kraken.

Esses sites conseguem comprimir em até 50% o tamanho original, sem perder a qualidade da foto. Com imagens menos pesadas, a página carrega mais rápido.

Para aumentar a velocidade, você pode investir em um servidor dedicado, em que o carregamento das páginas não é afetado com o grande fluxo de visitantes.

Se quiser otimizar ainda mais os seu site, implemente o AMP, o acelerador de páginas em dispositivos móveis. A ferramenta remove conteúdos desnecessários e torna a plataforma mais simples.

Excesso de informação

Textos muito longos, mesmo com um bom conteúdo não são atrativos. Ao se deparar, por exemplo, com um conteúdo de 5 páginas, o visitante tende a procurar informação em outro lugar.

Mas calma, isso não quer dizer que você não deva fazer textos longos, viu? O que você pode fazer é transformá-lo em um conteúdo mais dinâmico.

No caso de um conteúdo muito extenso, você pode fazer um vídeo ou intercalar imagens com as formas escritas.

Além de ter um formato dinâmico, os materiais audiovisuais são bastante envolventes, diminuindo as chances de ter uma taxa de rejeição alta.

Um outro tipo de informação que desmotiva o visitante é o pop-up. Os pop-ups devem ser utilizados com moderação, pois, em excesso, podem ser confundidos com vírus ou spam.

Falta de legibilidade

Os problemas com a legibilidade, assim como a falta de usabilidade, tem a ver com os problemas de excesso de informação que acabamos de falar.

Entretanto, as informações referentes à legibilidade vão além do texto, se estendendo para o design, tamanho das fontes e uso de cores.

Se os gadgets ou banners nas laterais forem muito chamativos, o leitor vai mudar o foco de atenção, que deveria estar no conteúdo.

Uma landing page com layout desorganizado ou exagerado afasta os visitantes, que acabam entrando na estatística da taxa de rejeição.

Todas as páginas devem ser intuitivas, de forma que o usuário consiga se localizar facilmente. Contrate um profissional capacitado para criar esse layout.

Página não responsiva

Um site responsivo é aquele que mostra o conteúdo baseado no espaço disponível no navegador. Isso quer dizer que o posicionamento do design se ajusta à tela.

Uma página responsiva é especialmente importante para usuários de dispositivos móveis. Se um site for feito apenas para as dimensões do computador, seu layout ficará desconfigurado ao ser aberto em um smartphone, por exemplo.

Hoje, a maioria dos acessos à internet são feitos através de dispositivos móveis. Por isso, é importantíssimo que sua página seja lida de forma adequada independentemente do aparelho.

Recentemente, o Google começou a levar em conta a responsividade das páginas na hora de fazer o rankeamento para as buscas na página principal.

Portanto, verifique se seu site é responsivo e, em caso negativo, desenvolva as ações necessárias para transformá-lo.

Se, além de garantir as dimensões adequadas, você ainda otimizar o conteúdo para os dispositivos móveis, sua página passa a ser, também, mobile friendly.

Página não alinhada às expectativas do usuário

Um dos principais fatores que contribuem para o aumento da taxa de rejeição é um conteúdo não alinhado com aquilo que o visitante estava buscando.

Caso o título do conteúdo não esteja realmente relacionado com as informações, a tendência é que o usuário saia da página assim que perceber esse desencontro.

Um outro fator que pode confundir os visitantes é a descrição do site, que é chamada de meta description. Ela é uma espécie de resumo do que a página faz.

Tente ser o mais direto possível, apresentando as principais informações de forma compatível com a linguagem da empresa.

Conteúdos pouco atraentes ou desatualizados

Um bom conteúdo é uma das principais chaves de sucesso do SEO. Os conteúdos atraentes sobre assuntos relevantes aumentam o tempo do usuário na página.

Algumas técnicas ajudam a otimizar o formato dos textos. Dê informações que ajudem a explicar melhor o assunto, de forma clara e direta.

Utilize, também, recursos visuais que contenham dados interessantes para aquele conteúdo. Adicionar exemplos práticos também pode ser uma boa ideia.

É muito importante fazer uma manutenção constante na página de forma que os conteúdos sejam alimentados e atualizados periodicamente.

Imagina que você procura um texto sobre impostos no Brasil em um site de finanças. Se a última atualização foi em 2016, você não vai abrir o link, não é? Provavelmente você ia entrar para a porcentagem da taxa de rejeição.

Ao manter conteúdos atualizados e de interesse público, você cria com os visitantes uma relação de autoridade no assunto.

Dessa forma, eles vão se sentir encorajados a abrir os links internos que você colocar nas páginas e a clicar nas chamadas para ação.

Para colocar seu site no topo das pesquisas, é importante entender o que faz um site ter uma alta taxa de rejeição. Um outro fator que também pode te ajudar é a plataforma do Google de atualização de site. Para saber mais, leia o texto sobre como usar o Google Search Console para avaliar seu site.

Monitore Grátis