Conheça os 5 pilares da segurança da informação das empresas
Segurança

Conheça os 5 pilares da segurança da informação das empresas

Abraão Almeida
Abraão Almeida

Tabela de conteúdos

Você conhece os cinco pilares da segurança da informação? Eles são os norteadores das boas práticas adotadas no sentido de proteger os dados dentro das empresas.

Após a implementação da LGPD, a segurança da informação ganhou ainda mais importância para as organizações, que já tinham notado o grande valor dos inúmeros dados com os quais trabalham cotidianamente.

Mas muitas empresas ainda não conseguiram desenvolver processos eficientes que garantam a proteção desses dados.

Daí a importância de contar com alguns parâmetros para o estabelecimento de uma política de segurança da informação adequada.

Se o seu objetivo no momento é melhorar a sua gestão de informações, o primeiro passo é conhecer os pilares da segurança da informação.

É deles que vamos falar neste artigo. Eles são cinco e você terá que conhecer cada um para assegurar a proteção de seus dados.

Mas, antes de abordar cada um desses cinco pilares, vamos relembrar as razões pelas quais o investimento em segurança da informação é tão importante para as empresas.

Importância do investimento em segurança da informação

Quando se pensa nos dados como um dos ativos mais valiosos que uma empresa pode deter, o entendimento sobre a importância de protegê-los é imediatamente detectado.

Quando bem processados e administrados, esses dados são transformados em capital informacional e a garantia da segurança deles é sinônimo de uma vantagem competitiva no mercado.

É com base nos dados que uma empresa consegue identificar oportunidades promissoras, melhorar sua gestão, estreitar o relacionamento com os clientes e aumentar sua lucratividade.

Por outro lado, as ameaças à segurança digital são cada vez mais numerosas e vão de simples erros humanos até os mais engenhosos ciberataques.

Por isso, a proteção das informações passa necessariamente por uma boa gestão de riscos, que devem ser reavaliados frequentemente.

Essa gestão inclui a adoção de políticas de segurança da informação, a definição de senhas seguras, a utilização de softwares de criptografia, a instalação de firewalls, entre outras.

Nova call to action

Quanto maiores os riscos, maior deve ser a preocupação com a proteção de dados, já que as consequências de um vazamento de dados, por exemplo, podem demorar anos para serem superadas.

Além de tudo isso, a proteção de dados é uma grande preocupação por conta das possíveis consequências legais da insegurança, já que a Lei Geral de Proteção de Dados já está em vigor.

Compreendida a grande relevância dos investimentos nessa área, vamos aos pilares da segurança da informação.

Quais são os pilares da segurança da informação?

Entre os cinco pilares da segurança da informação, três são mais populares e são chamados de tríade CIA: confidencialidade, integridade e disponibilidade (em inglês, confidentiality, integrity and availability).

Nos subtópicos seguintes, vamos falar sobre cada um deles e também sobre a autenticidade e irretratabilidade, conceitos que foram adicionados posteriormente aos três primeiros.

Confidencialidade

O primeiro dos pilares da segurança da informação consiste no acesso aos dados somente por pessoas autorizadas e no impedimento de que qualquer outra pessoa obtenha esse acesso.

A confidencialidade está diretamente ligada ao princípio da privacidade que deve ser aplicada a dados pessoais, sensíveis, financeiros e quaisquer outras informações consideradas sigilosas.

Em sua empresa, você pode garantir esse parâmetro utilizando a criptografia, o controle de acesso e a definição de senhas seguras.

A confidencialidade não é somente um dos pilares da segurança da informação, mas também um dos requisitos da LGPD. Portanto, é uma meta prioritária no seu tratamento de dados.

Integridade

No contexto da segurança da informação, a integridade é sinônimo de preservação, precisão e confiabilidade dos dados.

Isso significa que, ao longo de todo o seu ciclo de vida, as informações não devem sofrer alterações ou serem apagadas por pessoas não autorizadas.

Dentro das empresas, a integridade das informações pode ser comprometida tanto por erros humanos quanto pelos ciberataques.

Para evitar que isso aconteça, é preciso adotar mecanismos de controle e implementar uma política de segurança da informação adequada.

Disponibilidade

Ainda que haja o questionamento de que a disponibilidade seria uma negação da confidencialidade, essa é apenas uma falta de entendimento do correto significado de ambas.

Os pilares da segurança da informação não se contradizem. A disponibilidade diz respeito ao acesso em tempo integral aos dados pelos usuários autorizados.

Não se trata de uma disponibilidade para qualquer pessoa que deseje visualizá-los. Então, disponibilidade e confidencialidade, na verdade, se complementam.

Para garantir o atendimento ao pilar da disponibilidade, a empresa precisa ter garantida a estabilidade de seus sistemas.

Assim, é necessário estabelecer uma gestão de manutenção eficiente, eliminando as falhas de softwares e atualizando-os sempre que possível.

Autenticidade

Todos os pilares da segurança da informação se interligam. A autenticidade, por exemplo, tem tudo a ver com a confidencialidade. Isso porque ela corresponde à validação da autorização de que o usuário precisa para ter acesso aos dados e informações.

As senhas e os logins são os principais mecanismos utilizados para conferir autenticidade a um usuário. O objetivo é confirmar a identidade dos usuários antes que eles acessem os sistemas empresariais.

Para cumprir as exigências deste pilar em sua empresa, você deve garantir a definição de senhas fortes e conscientizar as pessoas que terão acesso a cada tipo de informação sobre a importância de manter seus dados de acesso seguros.

Teste Hosts Green gratuito

Irretratabilidade/legalidade

A irretratabilidade é inspirada em um princípio jurídico que possui o mesmo nome e seu objetivo é impedir a negação da autoria de uma informação fornecida por uma empresa.

Ou seja, pelo princípio da irretratabilidade, as empresas precisam ser capazes de provar o que foi feito, quando foi feito e quem realizou determinado procedimento em um sistema.

Dois exemplos da irretratabilidade são as assinaturas de documentos eletrônicos e a utilização de certificados digitais em transações feitas online.

Você pode usar recursos como estes em sua empresa para garantir o atendimento do requisito da irretratabilidade.

Implemente uma política de segurança da informação

Para melhor organizar o processo de garantia da segurança dos dados em seu negócio, é fundamental o estabelecimento de uma política de segurança da informação.

É ela que vai permitir o seguimento de orientações detalhadas e padronizadas para que todos os dados fiquem seguros.

Como você já conhece os pilares da segurança da informação, é hora de saber como implementar essa política e colocar em prática suas diretrizes o quanto antes. Leia: Como criar uma política de segurança da informação ainda hoje.



Junte-se à conversa.