Se você é gestor de uma organização, com certeza considera os cuidados relativos à manutenção de seus recursos e equipamentos relevantes. Mas você já parou para pensar mais aprofundadamente sobre as possibilidades de manutenção a serem adotadas? Sabe, por exemplo, o que é manutenção preditiva?

Há bastante tempo, as empresas estão cientes de que não basta contar com os melhores equipamentos e máquinas disponíveis no mercado. É preciso garantir seu funcionamento eficaz.

Ou seja, é preciso investir em manutenção. Isso é um consenso, pois, eventualmente, os recursos disponíveis apresentarão algum problema a ser solucionado ou necessidade de adequação.

Os impasses são maiores quando não se tem informações sobre os tipos de manutenção disponíveis e quando, tendo esse conhecimento, faz-se uma escolha equivocada.

Os erros ocorrem principalmente em função da ideia de “conserto” associada à manutenção.

Em outras palavras, quando se fala em manutenção, a ideia que vem à tona é quase sempre a de algum aparelho que apresentou defeito, deixou de cumprir suas funções e precisa tê-las restabelecidas.

Esse pensamento refere-se à manutenção corretiva, que não deve ser totalmente esquecida, mas cuja necessidade pode diminuir significativamente se a manutenção preditiva for aderida.

Neste artigo, buscaremos desvendar o que é manutenção preditiva e quais são os fatores a serem considerados para que você a adote em sua empresa.

O que é manutenção preditiva?

Antes de definirmos o que é manutenção preditiva, vamos refletir sobre o desempenho dos equipamentos e máquinas presentes em sua empresa. Todos eles funcionam e sempre funcionaram satisfatoriamente?

A resposta muito provavelmente é não. Outras perguntas: você toma alguma medida para favorecer o bom desempenho desses recursos? Será que sua empresa está desfrutando de toda a potencialidade deles?

O que ocorre na prática, quase sempre é a chamada manutenção corretiva, que promove o reparo somente após a ocorrência das falhas.

O equipamento começa a apresentar pequenas falhas que não são consideradas, já que sua função principal continua sendo cumprida, ainda que com algum pequeno retardo ou defeito.

Resolve-se tudo com base no critério do “desliga e liga de novo que vai funcionar normalmente”. Não há nenhum acompanhamento da evolução dos problemas.

Então, o equipamento se desgasta e acaba queimando ou pifando. Só depois que isso ocorre, pensa-se em manutenção.

No caso, a manutenção acionada é a corretiva e a produção planejada para a máquina que precisa dessa intervenção é reduzida a zero por um período bem variável de tempo.

Todo bom gestor sabe que o planejamento é a chave para uma boa performance dos negócios. E em casos como a situação descrita acima, é claro que a necessidade do período de manutenção da máquina é inesperada, ou seja, não há planejamento, o que pode desencadear outros problemas.

É dentro dessa lógica do planejamento, que entra a definição do que é manutenção preditiva: trata-se de uma metodologia que monitora e inspeciona máquinas e equipamentos com o objetivo de avaliar seus indicadores de qualidade.

A adesão da manutenção preditiva implica necessariamente no planejamento de ações contínuas, de modo a otimizar os processos dependentes dos equipamentos e máquinas utilizados pela empresa.

Sua principal consequência é a grande redução de defeitos, falhas, quebras e paralisações das tarefas realizadas através desses recursos.

Portanto, há uma elevação da produtividade e da vida útil das máquinas e equipamentos.

Manutenção Preditiva X Manutenção corretiva

Agora que você sabe o que é manutenção preditiva, fica fácil entender porque ela é uma tendência em empresas que buscam maximizar a disponibilidade de seus recursos.

Contudo, a adoção inicialmente promissora da manutenção preditiva esbarra na mentalidade de muitos gestores, que resistem aos investimentos nesse tipo de manutenção porque os veem como gastos desnecessários.

Eles não entendem totalmente a potencialidade da manutenção preditiva e acabam optando pela corretiva, já que aparentemente esta última é mais econômica.

Acontece que, a longo prazo, a manutenção corretiva se mostra muito mais onerosa, quando se leva em consideração, por exemplo, o tempo que as máquinas precisam permanecer paradas.

Além disso, nessa situação, os equipamentos costumam ter suas atividades paralisadas por um número bem maior de vezes e seus componentes e peças ficam sujeitos a um desgaste mais intenso.

Consequentemente, há uma queda na produtividade e um aumento do custo de manutenção.

Manutenção preditiva é o mesmo que manutenção preventiva?

Ao saber o que é manutenção preditiva, você pode ter se perguntado se o termo se refere ao mesmo significado de manutenção preventiva.

De fato, a expressão “manutenção preventiva” costuma ser mais conhecida do que manutenção preditiva e a aproximação entre as duas metodologias se deve ao fato de que ambas tentam evitar a necessidade de uma manutenção corretiva.

Mas as semelhanças param por aí. Ou seja, manutenção preventiva e preditiva não são a mesma coisa.

Enquanto a manutenção preditiva busca monitorar, acompanhar e inspecionar os equipamentos e máquinas, compreendendo suas reais condições de desempenho, a manutenção preventiva foca-se unicamente na prevenção de falhas.

Assim, na manutenção preventiva, há um planejamento com intervalos predeterminados para que sejam feitas revisões. Nesse período, podem ser realizados procedimentos como calibragens e lubrificações.

Contudo, não é feita uma análise aprofundada dos componentes e a manutenção pode ser realizada muito antes da detecção de alguma falha. Ou seja, para evitar a manutenção corretiva podem ser feitos reparos desnecessários.

Isso não ocorre na manutenção preditiva porque ela acompanha e monitora as máquinas e equipamentos possibilitando as intervenções nos momentos exatos em que elas se tornam necessárias.

Então, por meio do controle referente às operações, possibilitado graças ao monitoramento constante, são obtidos dados sobre os equipamentos que possibilitam ao gestor a tomada de decisões acertadas quanto à intervenção em determinado equipamento.

Benefícios da adoção da manutenção preditiva

Diante das comparações acima, ficou muito mais claro o que é manutenção preditiva. Agora, para fechar o artigo, vamos citar alguns dos seus principais benefícios.

  • Melhor eficiência: com a interpretação dos dados obtidos por meio de sensores, é possível planejar as intervenções de modo que as máquinas e equipamentos produzam mais e melhor;

  • Aumento da disponibilidade: com a análise das informações sobre o desempenho de cada peça, torna-se possível a antecipação e solução de falhas, evitando a necessidade da manutenção corretiva;

  • Maior tempo de vida útil: o monitoramento e análise prévia dos componentes da máquina permitem o conhecimento detalhado sobre seu funcionamento e consequentes providências para mantê-la em plenas atividades pelo maior tempo possível;

  • Redução de custos: diminuindo a possibilidade de falhas e mantendo os recursos com alta disponibilidade, a produção raramente é interrompida, o que reduz os custos corretivos.

Enfim, se há uma palavra-chave que se destaca quando o objetivo é entender o que é manutenção preditiva, essa palavra é o monitoramento. É ele que permite a eficácia na adoção dessa metodologia. E, para entender mais sobre a relevância do monitoramento dentro da sua empresa, sugerimos a leitura do artigo sobre monitoramento e segurança. Até a próxima!

Monitore Grátis