Não é difícil encontrar uma farmácia, uma padaria ou um posto que funcione 24 horas. Seguindo essa lógica da não interrupção, surgiu o sistema de alta disponibilidade.

As empresas mais competitivas da atualidade sabem que o trabalho não pode parar e o cliente sempre quer agilidade nas respostas e nas resoluções dos problemas.

Para que as funções não sejam interrompidas, os serviços de alta disponibilidade entram em ação. A seguir, você vai saber mais sobre como funciona esse sistema.

O que é a alta disponibilidade

Como o próprio nome sugere, a alta disponibilidade é a capacidade que um sistema tem de ficar disponível o maior tempo possível, sem interrupções.

Na área da tecnologia, quer dizer que, independente de causas diretas ou indiretas, um serviço ou uma aplicação vai ser estar disponível 24 horas por dia, todos os dias.

Para manter as funções ininterruptas, o trabalho dos profissionais de TI entra em ação para que os clientes não fiquem fora do ar.

O sistema é complexo e exige disponibilidade e investimento. Apesar de não ser um serviço tão barato, o ideal é que a empresa adeque os planos a sua realidade, garantindo o máximo possível de cobertura.

Quais as principais vantagens

Existem diversos fatores que podem causar um bloqueio, mesmo que temporário, da conexão. Vazamentos, incêndios, problemas na fiação. Independentemente do motivo, os clientes não querem que isso aconteça.

O ponto-chave da alta disponibilidade é a segurança. Imprevistos acontecem e nem sempre é possível ter um técnico à disposição naquele momento.

A gente não espera que haja algum problema na rede, mas, dependendo do dia e do setor, o prejuízo é imensurável, caso isso aconteça.

Imagine que você trabalhe em um setor de importação que funciona 24 horas por dia, de domingo a domingo. As operações não podem falhar. Seria muito difícil conseguir um especialista em uma madrugada de sábado, não é?

A implementação da alta disponibilidade deve ser vista como um investimento. Você paga para evitar maiores gastos. Dependendo do seu orçamento, a cobertura pode garantir segurança até mesmo em catástrofes naturais.

Na hora de montar o seu planejamento de danos, ou seja, colocar no papel tudo o que gostaria que o serviço de alta disponibilidade cobrisse, seja o mais realista possível.

No Brasil, por exemplo, é indicado que cada empresa tenha, no mínimo, dois links de provedores, já que a conexão não costuma ser tão estável. Se uma falhar, use a outra.

Caso a sua empresa seja grande e você tenha filiais ou franquias, a necessidade da alta disponibilidade aumenta. Geralmente, as matrizes alimentam o sistema dos colaboradores, por isso não pode ter margem de erro no contato.

O projeto de alta disponibilidade também deve certificar que todas as operações vão funcionar, sejam elas hardwares, roteadores, câmeras, ar condicionado ou até mesmo portas eletrônicas.

Como implementar a alta disponibilidade

Como já falamos nos tópicos anteriores, a alta disponibilidade é quando seus serviços, servidores e tudo que envolve a sua operação rodam de forma que “se um cai o outro assume”.

Para colocar esse sistema da alta disponibilidade funcionando, separamos alguns pontos importantes:

Escolha o profissional adequado

O primeiro passo é garantir que a empresa que vai fazer o serviço para você seja realmente comprometida e confiável.

Algumas vezes, profissionais falham nos conhecimentos básicos. Para oferecer a alta disponibilidade, é preciso saber a fundo sobre domínio, infraestruturas, endereçamentos.

Empresas grandes, como a Microsoft, as certificações são exigidas. Se a sua empresa se sentir mais segura fazendo o mesmo, procure saber quais são os certificados que seriam mais válidos para o seu tipo de trabalho.

Se você for um profissional, estude muito e invista nessas certificações. A própria Microsoft oferece cursos online que conferem certificado.

Conheça a infraestrutura

É importante que você saiba quais as etapas que permitem a alta disponibilidade e como elas se organizam.

  • Planejamento: o sistema pode ser dividido em diversas partes. O primeiro passo é ver se todas estão funcionando e planejar o que fazer para ter controle sobre os recursos.
  • Backup: o backup automático deve fazer parte da política de segurança de dados. Dessa forma, as informações importantes estarão sempre disponíveis e atualizadas.
  • Standby: o servidor em standby tem a função de operar caso outro servidor falhe. Ele minimiza o tempo de recuperação do servidor e permite que o sistema não seja interrompido.
  • Cluster: os clusters permitem que vários computadores ou servidores sejam agregados e se mantenham trabalhando juntos. Eles são sistemas acessíveis de hardware que permitem a detecção de erros.

Para que a alta disponibilidade cumpra sua função, é preciso que todos esses itens sejam levados em conta na hora de colocá-la em ação.

Entenda sua necessidade: Alta disponibilidade x nuvem

É bem provável que ao procurar um serviço de alta disponibilidade o profissional te ajude a entender um pouco do processo. Mas vamos mostrar, agora, como você diferencia o sistema antes de optar por ele.

No Brasil, a nuvem é paga mensalmente e, por causa da alta do dólar, seu valor é um pouco mais caro que em outros países.

Apesar de ser uma ótima opção por não perder os dados, é bom lembrar que a nuvem não está sempre disponível, diferentemente do serviço de alta disponibilidade.

Para que a alta disponibilidade funcione, é preciso, além do investimento financeiro, ter um espaço físico que acomode toda a aparelhagem.

Geralmente, as empresas que ainda não têm uma infraestrutura tão grande acabam optando pelo armazenamento na nuvem.

É possível, ainda, implementar a alta disponibilidade na nuvem. Essa combinação, que vem sendo forte tendência nas empresas, chega a ter garantia de 99.9% de efetividade.

Como vimos ao longo do texto, são muitos os fatores que podem falhar em uma operação, mas com o sistema de segurança da alta disponibilidade, as taxas de resolução rápida são incrivelmente satisfatórias.

O mais importante é ter o sistema de alta disponibilidade assim que puder. Muitas empresas só implementam quando perdem, o que causa prejuízos enormes.

Para aprofundar ainda mais nas estratégias e vantagens da alta disponibilidade, escute o nosso podcast sobre o assunto.