A etapa da escolha de um dos tipos de servidores existentes é fundamental para não arranjar dores de cabeça no futuro. Afinal, cada um combina com um determinado modelo de negócio, então é necessário avaliar bem qual é o seu caso.

Para saber qual é o mais indicado para o seu site, continue lendo este artigo!

O que é um servidor?

Se você tem um site, o primeiro ponto a entender é que ele foi composto de três principais itens: servidor, sistema de gestão de conteúdos e domínio.

Para que o site opere normalmente, é importante que ele esteja online o tempo todo, ou seja, que tenha um lugar num servidor com funcionamento 24h.

Então, um servidor é basicamente um computador que está sempre ligado à rede, servindo para alimentar o site com conteúdos. Por isso, todos os tipos de servidores devem ter um endereço de IP (Internet Protocol).

Quais são os tipos de servidores?

Para que você descubra qual dos tipos de servidores é o mais adequado para o seu site, conheça mais profundamente alguns deles a seguir.

Servidor dedicado

Se você deseja ter um servidor apenas seu, com acesso a todos os recursos disponíveis, é possível alugar um servidor físico por meio de uma empresa web hosting.

Dessa forma, o cliente tem total acesso à rede, permitindo que o usuário rode qualquer aplicação por meio dele.

Essa opção é indicada para quem tem expressiva quantidade de visitas no site, mas apresenta algumas desvantagens.

Como o controle fica todo em suas mãos, isso requer um maior nível de responsabilidade. Afinal, você que deve configurar o software e o hardware. Ao contrário do servidor compartilhado, em que o próprio provedor se encarrega dessa configuração.

Além disso, esse servidor é mais caro que o compartilhado, por exemplo.

Servidor compartilhado

Dentre os tipos de servidores existentes, o compartilhado é o mais comum de todos, sendo também chamado de web hosting compartilhado.

Logo, uma empresa especializada que mantém esse servidor, em que o espaço e recurso são compartilhados por outras empresas que usam esse serviço. Aliás, é comum que mais de 100 organizações utilizem o mesmo servidor.

Esse tipo é mais usado por pequenas e médias empresas, que não realizam aplicações muito complexas, então não chegam a atingir nem 10 gigabytes. Além disso, não têm tanto volume de visitas.

Dessa forma, no servidor compartilhado, cada cliente tem um espaço particular, mas deve dividir os recursos gerais e as regras do provedor da hospedagem. Por isso, os recursos são bem menores que os do servidor dedicado.

201917Jun_Hosts.green_ctablog_v4

Servidor VPS

O servidor VPS (Virtual Private Server, traduzindo para o português, significa Servidor Virtual Privado), em que a letra V remete ao servidor gerado por um software, a letra P indica que o acesso é restrito ao usuário e a letra S está ligada ao servidor web, onde são armazenados os arquivos e dados.

Dito isso, o servidor VPS é um intermediário entre o dedicado e o compartilhado, sendo mais em conta que o dedicado e com mais recursos que o compartilhado.

Nesse servidor, os clientes também compartilham recursos, mas em um número bem menor que no compartilhado.

Ele funciona dentro de um servidor físico, com recursos e capacidades bem definidas e segregadas de acordo com cada ambiente virtualizado.

Além disso, o VPS utiliza o próprio sistema operacional, então não importa qual seja utilizado pelos outros usuários do mesmo servidor.

Com o VPS, ainda que seja utilizada uma mesma máquina, as divisões são diferentes, evitando que o seu site fique fora do ar se houver instabilidade na rede.

Servidor em nuvem

Por meio da Internet e de servidores virtuais, é possível armazenar dados com o servidor em nuvem.

Enquanto os outros tipos de servidores anteriormente citados se localizam em apenas uma máquina, esse é diferente, já que os servidores estão em diferentes computadores.

Isso possibilita algumas vantagens significativas. Afinal, com a redução da carga sobre os equipamentos, a capacidade de desempenho aumenta.

Os grandes fornecedores do servidor em nuvem conseguem criar supercomputadores, que são capazes de processar uma imensa quantidade de informações, podendo, inclusive, superar a performance de um servidor dedicado.

No entanto, a indicação dele não é para todos, principalmente para quem ainda não tem alto volume de tráfego no site.

Outros tipos de servidores

Os tipos de servidores que citamos nos tópicos acima são os mais conhecidas, mas existem ainda dois outros que merecem destaque.

Um deles é o reseller hosting, que é uma modalidade do servidor compartilhado, mas conta com ferramentas que possibilitam a empresa de realocar ou revender um pedaço do espaço contratado com a web hosting.

Já o menos comum de todos é o colocated servers, em que é colocado o seu servidor no provedor de hospedagem. Então, você fica totalmente responsável por ele, inclusive em casos de falha no sistema.

Como escolher um dos tipos de servidores?

Se você ainda tem dúvidas sobre qual dos tipos de servidores escolher, lembre-se que existem alguns critérios que precisam ser analisados.

O principal fator que deve envolver essa escolha é a avaliação do tamanho da sua empresa. Afinal, como foi possível perceber até aqui, cada servidor tem características e funcionalidades diferentes de acordo com a grandeza do seu negócio.

Outro item que precisa ser avaliado é o nível das aplicações que você utiliza, pois, se elas forem simples, como o compartilhamento de pastas e arquivos, um servidor básico cumpre essas tarefas.

No entanto, se são feitas operações que dependem de processos complexos, é necessário adquirir um modelo mais completo e desenvolvido.

Por isso, você deve avaliar as suas necessidades para escolher o servidor ideal.

Lembrando, é claro, de pesquisar sobre a reputação dos provedores, incluindo nessa pesquisa a análise do suporte técnico oferecido, os preços, os recursos fornecidos, os painéis de controle e outras funcionalidades que julgar necessárias.Dessa forma, é possível escolher um dos tipos de servidores que verdadeiramente ajude a alavancar o seu negócio. Falando nisso, não esqueça também de verificar constantemente as métricas do seu site para avaliar o seu progresso, principalmente o uptime. Para saber mais, confira este artigo: O que é uptime?

201917Jun_Hosts.green_ctablog_v3