Processamento de dados: o que é e como funciona
Gestão

Processamento de dados: o que é e como funciona

Abraão Almeida
Abraão Almeida

Tabela de conteúdos

Com certeza você já ouviu a expressão “processamento de dados”, mas você sabe exatamente o que ele é e como ele é feito?

Na verdade, podemos dizer que toda a área da tecnologia da informação depende do processamento de dados.

Todos os dados que trafegam na internet, nas redes sociais e nas redes lógicas da sua empresa precisam ser processados para que as pessoas tenham acesso às informações.

Este processamento é feito cotidianamente, muitas vezes de maneira tão automática que não se pensa em melhorar sua eficiência.

Então, a grande questão não é implementar o processamento de dados em sua empresa. Toda empresa, para existir, já faz o processamento de dados.

A questão é entender a importância estratégica desse processo e organizá-lo da maneira mais eficiente possível para o seu negócio.

Nos tópicos seguintes, você vai entender em que consiste o processamento de dados, como ele funciona na prática, quais são os tipos de processamento de dados e como ele pode colaborar para o crescimento da sua empresa.

O que é processamento de dados?

O processamento de dados pode ser pensado como a coleta, a ordenação e a organização de informações de acordo com uma disposição lógica e apropriada para a interpretação.

Essas informações compõem os chamados bancos de dados. Dentro de uma empresa, elas são geradas aos montes a partir das interações com os colaboradores, fornecedores e clientes.

Mas, sem um processamento, essas informações ficam armazenadas sem poderem ser utilizadas de maneira inteligível.

Quando um usuário acessa um banco de dados e obtém resultados para a sua pesquisa, é o processamento de dados que está proporcionando a ele a obtenção dos resultados de que precisa.

As informações extraídas como resultados de uma busca, são frutos do processamento de dados.

É por isso que dizemos que a tecnologia da informação tem o foco de sua existência centralizado no processamento de dados.

Monitore Grátis

Quais são os tipos de processamento de dados?

Existem quatro tipos de processamento de dados. Vamos falar sobre cada um deles em seguida.

Processamento em batch

É o processamento que transmite os dados diretamente ao servidor central da empresa, dividindo-os em lotes e agendando horários pré-programados para o processamento.

Um bom exemplo é a realização do backup dos dados organizacionais, que geralmente ocorre depois do encerramento do expediente.

Processamento online

Esse tipo de processamento é feito no mesmo momento em que os dados são registrados.

Os exemplos mais lembrados são algumas operações bancárias, como as compras com cartões de crédito que são atualizadas imediatamente no extrato do cliente do banco.

Processamento offline

Nesse caso não existe uma conexão direta entre o terminal que recebe os dados e o servidor.

Os dados ficam armazenados em um dispositivo temporário que não tem conexão com a internet. Só depois de um tempo eles são levados à base de dados.

Processamento em tempo real

O exemplo mais claro do processamento em tempo real é o GPS, pois trata-se de um tipo de processo cujos registros são feitos de forma imediata e sequenciada.

Assim, quando uma informação acaba de ser processada, já há a ativação de um mecanismo para processar um novo registro.

É o que acontece com o GPS: ele processa as informações ao longo do trajeto que o veículo percorre e vai liberando orientações de direcionamento.

Como o processamento de dados funciona na prática?

O processamento de dados é classificado como mecanizado quando é feito com o auxílio de computadores ou outros dispositivos.

Essa ideia de mecanização existe porque nem sempre os equipamentos tecnológicos estiveram à disposição das empresas para a organização e disponibilização dos dados.

Na atualidade já é inviável abrir mão da ajuda das máquinas, dada a quantidade exorbitante de dados gerados diariamente.

Então, na prática, o processamento de dados é feito da seguinte maneira: primeiramente os dados são coletados através de um hardware.

Em seguida, os dados são gravados e enviados ao processador desse hardware. A partir de então é que eles serão recebidos por um software que irá analisá-los e organizá-los.

Com os dados processados, é possibilitada a saída de informações, que geram conhecimentos a serem utilizados pela pessoa ou empresa.

Como toda empresa já faz, de maneira eficiente ou não, o processamento de dados, o foco, quando se pensa nesse processo, deve ser a melhoria da qualidade das informações obtidas.

Existem cinco requisitos que uma informação precisa preencher para ser considerada fidedigna: integridade, confidencialidade, confiabilidade, irrefutabilidade e disponibilidade.

Durante a análise e a organização dos dados é possível barrar informações inconsistentes, evitando o fornecimento de informações falsas ou erradas após as pesquisas feitas nos bancos de dados.

Essa separação de dados inconsistentes é que permite o preenchimento dos cinco requisitos da informação fidedigna.

Podemos. portanto, pensar na divisão do processamento de dados em várias etapas, sendo as principais delas:

  • Coleta
  • Armazenamento
  • Análise;
  • Organização;
  • Tratamento;
  • Agrupamento;
  • Saída.

O agrupamento eficaz das informações pode evidenciar tendências e proporcionar o acompanhamento de indicadores de desempenho, tão importantes na gestão empresarial.

Processamento de dados e gestão de negócio

É claro que você já sabe que os dados de que dispõe são um importante ativo da sua empresa.

Utilizando os dados com eficácia, é possível otimizar a gestão do negócio, criar melhores relacionamentos com os clientes, melhorar as soluções ofertadas e fazer a empresa crescer, entre tantas outras possibilidades.

É por isso que um processamento de dados eficiente deve ser priorizado no seu setor de tecnologia da informação.

Quando as informações fidedignas são organizadas e classificadas, diversos fatos vêm à tona e muitas tendências tornam-se evidentes.

Observando esses fatores e tendências, os gestores conseguem identificar oportunidades em seu segmento de atuação e ter insights para melhorar a produtividade de seus colaboradores.

Um processamento de dados de qualidade também fornece informações que permitem a identificação de indicadores de desempenho relevantes e o seu acompanhamento.

Esse acompanhamento poderá embasar decisões estratégias a serem tomadas pelos gestores no sentido de promover o crescimento do negócio.

Infográfico 8 dicas para melhorar os resultados do seu site

Processamento de dados e LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados estabelece algumas regras que devem ser seguidas durante o processamento de dados pessoais.

Em primeiro lugar, para utilizar qualquer dado pessoal, a empresa deve obter uma autorização do titular dos dados e informar a ele, com clareza, o objetivo dessa utilização.

Existem algumas situações em que o consentimento do detentor dos dados pode ser dispensado:

  • Para cumprir obrigação legal;
  • Para elaborar estudos através de órgãos de pesquisa;
  • Para defender algum direito em processo judicial;
  • Para preservar a vida;
  • Para evitar fraudes;
  • Quando o procedimento é realizado por profissionais da saúde;
  • Para atender interesses legítimos da empresa ou terceiros sem ferir os direitos do titular;
  • Para proteger o crédito.

Os três princípios do processamento de dados pessoais são a transparência, a necessidade e a segurança.

Isso significa que:

  • Os titulares dos dados pessoais devem ser informados sobre a utilização dessas informações;
  • A finalidade para a qual os dados estão sendo utilizados deve ser explicitada;
  • Somente os dados realmente necessários podem ser utilizados (nada de deter a informação para utilizá-la somente quando você encontrar uma utilidade ou tiver uma ideia nova);
  • A empresa deve garantir a segurança do armazenamento e tratamento desses dados (sem vazamentos que exponham o titular dos dados a algum problema).

É perceptível que as empresas precisam passar por algumas adaptações em seus processamentos de dados para atender às exigências da LGPD.

Por isso, é muito recomendável a designação de um profissional para providenciar as adequações e fiscalizar o cumprimento da LGPD pela organização, bem como orientar as equipes que lidam com dados pessoais.

Uma das primeiras tarefas desse profissional será criar um meio para a obtenção do consentimento dos titulares dos dados pessoais.

O consentimento pode ser obtido através de um formulário físico ou eletrônico que deve ser assinado pelo detentor dos dados.

Também é muito importante que a empresa adquira ferramentas e softwares que garantam a segurança dos dados pessoais sob sua tutela.

E, por falar em segurança, é claro que ela depende de uma boa estratégia para o armazenamento dos dados.

Agora que você já tem as informações mais importantes sobre processamento de dados, é importante cuidar do armazenamento também. Leia o nosso artigo sobre este assunto.



Junte-se à conversa.